top of page

Por que devemos perdoar?

Atualizado: 20 de nov. de 2021



Quantas vezes devemos perdoar?

Como devemos lidar com nossos ofensores?

Quais são as consequências de não perdoar os ofensores?



Mateus 18:21-35


21Então Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou: “Senhor, quantas vezes deverei perdoar a meu irmão quando ele pecar contra mim? Até sete vezes?”

22Jesus respondeu: “Eu digo a você: Não até sete, mas até setenta vezes sete.

23“Por isso, o Reino dos céus é como um rei que desejava acertar contas com seus servos. 24Quando começou o acerto, foi trazido à sua presença um que lhe devia uma enorme quantidade de prata. 25Como não tinha condições de pagar, o senhor ordenou que ele, sua mulher, seus filhos e tudo o que ele possuía fossem vendidos para pagar a dívida.

26“O servo prostrou-se diante dele e lhe implorou: ‘Tem paciência comigo, e eu te pagarei tudo’. 27O senhor daquele servo teve compaixão dele, cancelou a dívida e o deixou ir.

28“Mas, quando aquele servo saiu, encontrou um de seus conservos, que lhe devia cem denários. Agarrou-o e começou a sufocá-lo, dizendo: ‘Pague-me o que me deve!’

29“Então o seu conservo caiu de joelhos e implorou-lhe: ‘Tenha paciência comigo, e eu pagarei a você’.

30“Mas ele não quis. Antes, saiu e mandou lançá-lo na prisão, até que pagasse a dívida. 31Quando os outros servos, companheiros dele, viram o que havia acontecido, ficaram muito tristes e foram contar ao seu senhor tudo o que havia acontecido.

32“Então o senhor chamou o servo e disse: ‘Servo mau, cancelei toda a sua dívida porque você me implorou. 33Você não devia ter tido misericórdia do seu conservo como eu tive de você?’ 34Irado, seu senhor entregou-o aos torturadores, até que pagasse tudo o que devia.

35“Assim também fará meu Pai celestial a vocês se cada um de vocês não perdoar de coração a seu irmão”.


A resposta que Jesus deu a Pedro e a parábola que ele contou nos ensina que devemos perdoar sempre os nossos ofensores.


Nesta parábola, o senhor representa Deus, o servo representa cada um de nós e o conservo representa os nossos ofensores.


A parábola do credor incompassível nos mostra 5 razões incontestáveis para perdoarmos o nosso semelhante sem limites.


O texto nos mostra que:


1. Devemos perdoar os nossos ofensores porque Deus nos perdoou (Mt. 18:27).

27O senhor daquele servo teve compaixão dele, cancelou a dívida e o deixou ir.



Deus nos perdoou mesmo sendo as nossas dívidas grande aos seus olhos.

24Quando começou o acerto, foi trazido à sua presença um que lhe devia uma enorme quantidade de prata.


Deus nos perdoou mesmo sabendo que não tínhamos condições de pagar.

25Como não tinha condições de pagar, o senhor ordenou que ele, sua mulher, seus filhos e tudo o que ele possuía fossem vendidos para pagar a dívida.


Deus nos perdoou mesmo sendo justo em nos punir.

25Como não tinha condições de pagar, o senhor ordenou que ele, sua mulher, seus filhos e tudo o que ele possuía fossem vendidos para pagar a dívida.


2. Devemos perdoar os nossos devedores porque as suas dívidas são pequenas em relação as nossas (Mt. 18:28).

28“Mas, quando aquele servo saiu, encontrou um de seus conservos, que lhe devia cem denários. Agarrou-o e começou a sufocá-lo, dizendo: ‘Pague-me o que me deve!’


Esta parábola nos ensina que:


Devíamos do mesmo modo que os nossos devedores.


O servo devia ao rei.

24Quando começou o acerto, foi trazido à sua presença um que lhe devia uma enorme quantidade de prata.


O conservo devia ao seu colega.

28“Mas, quando aquele servo saiu, encontrou um de seus conservos, que lhe devia cem denários. Agarrou-o e começou a sufocá-lo, dizendo: ‘Pague-me o que me deve!’


Devíamos muito mais que os nossos devedores.


O servo devia muito mais do que o seu conservo.

28“Mas, quando aquele servo saiu, encontrou um de seus conservos, que lhe devia cem denários. Agarrou-o e começou a sufocá-lo, dizendo: ‘Pague-me o que me deve!’


3. Devemos perdoar os nossos ofensores porque Deus enxerga a falta de perdão como é um erro gravíssimo.

A parábola nos ensina que:


A falta de perdão nos leva a agir com violência com os nossos devedores.

28“Mas, quando aquele servo saiu, encontrou um de seus conservos, que lhe devia cem denários. Agarrou-o e começou a sufocá-lo, dizendo: ‘Pague-me o que me deve!’


A falta de perdão causa tristeza nas pessoas que estão ao nosso redor.

31Quando os outros servos, companheiros dele, viram o que havia acontecido, ficaram muito tristes e foram contar ao seu senhor tudo o que havia acontecido.


A falta de perdão nos leva agir com egoísmo e sem misericórdia.

30“Mas ele não quis. Antes, saiu e mandou lançá-lo na prisão, até que pagasse a dívida.


A falta de perdão provoca a ira de Deus.

34Irado, seu senhor entregou-o aos torturadores, até que pagasse tudo o que devia.


4. Devemos perdoar os nossos ofensores porque Deus quer que perdoemos os nossos devedores.

Deus enxerga a falta de perdão como um ato de maldade.

32“Então o senhor chamou o servo e disse: ‘Servo mau, cancelei toda a sua dívida porque você me implorou.


Deus espera que sejamos misericordiosos, assim como ele foi conosco.

33Você não devia ter tido misericórdia do seu conservo como eu tive de você?’


5. Devemos perdoar porque a falta de perdão resulta em juízo divino (Mt. 18:34).

34Irado, seu senhor entregou-o aos torturadores, até que pagasse tudo o que devia.

Porque quem não perdoa não será perdoado.


Jeus afirmou que o Pai fará a mesma coisa que o rei fez se não perdoarmos os nossos ofensores.

35“Assim também fará meu Pai celestial a vocês se cada um de vocês não perdoar de coração a seu irmão”.


18 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo