top of page

A Providência Divina na Natureza.




“Nele fomos também escolhidos, tendo sido predestinados conforme o plano daquele que faz todas as coisas segundo o propósito da sua vontade”.

Efésio 1.11



"Deus coopera com as coisas criadas em cada ato, dirigindo as suas propriedades características a fim de fazê-las agir como agem".

Wayne Grudem



Deus faz todas as coisas ocorrerem de acordo com sua vontade (Ef. 1.11).


“Nele fomos também escolhidos, tendo sido predestinados conforme o plano daquele que faz todas as coisas segundo o propósito da sua vontade”.


A palavra “faz” no grego é “energeõ” que significa “elabora” ou “realiza”.


A Nova Versão Transformadora traduz essa passagem assim:


“Além disso, em Cristo nós nos tornamos herdeiros de Deus, pois ele nos predestinou conforme seu plano e faz que tudo ocorra de acordo com sua vontade”.


A Nova Tradução Linguagem de Hoje traduz essa passagem assim:


Todas as coisas são feitas de acordo com o plano e com a decisão de Deus. De acordo com a sua vontade e com aquilo que ele havia resolvido desde o princípio, Deus nos escolheu para sermos o seu povo, por meio da nossa união com Cristo.”.


Deus faz a sua vontade na natureza (Sl. 148.7,8).


“Louvem o Senhor, vocês que estão na terra, serpentes marinhas e todas as profundezas,

relâmpagos e granizo, neve e neblina, vendavais que cumprem o que ele determina”.


Deus controla a natureza para realizar os seus propósitos (Jó 37.5-13).


“A voz de Deus troveja maravilhosamente; ele faz coisas grandiosas, acima do nosso entendimento.

Ele diz à neve: ‘Caia sobre a terra’, e à chuva: ‘Seja um forte aguaceiro’.

Ele paralisa o trabalho de cada homem, a fim de que todos os que ele criou conheçam a sua obra.

Os animais vão para os seus esconderijos; e ficam nas suas tocas.

A tempestade sai da sua câmara, e dos ventos vem o frio.

O sopro de Deus produz gelo, e as vastas águas se congelam.

Também carrega de umidade as nuvens, e entre elas espalha os seus relâmpagos.

Ele as faz girar, circulando sobre a superfície de toda a terra, para fazerem tudo o que ele lhes ordenar.

Ele traz as nuvens, ora para castigar os homens, ora para regar a sua terra e mostrar o seu amor”.


A natureza é dirigida e controlada pela soberania de Deus.

Deus fez granizo cair sobre o Egito para punir faraó e os egípcios (Êx. 9.23).


“Quando Moisés estendeu a vara para o céu, o Senhor fez vir trovões e granizo, e raios caíam sobre a terra. Assim o Senhor fez chover granizo sobre a terra do Egito.


Deus abriu o mar vermelho pro seu povo passar (Êx. 14.21,22).


“Então Moisés estendeu a mão sobre o mar, e o Senhor afastou o mar e o tornou em terra seca, com um forte vento oriental que soprou toda aquela noite. As águas se dividiram,

e os israelitas atravessaram pelo meio do mar em terra seca, tendo uma parede de água à direita e outra à esquerda.


Deus parou a terra para dar a vitória para Josué sobre os seus inimigos (Js. 10.12-14).


“No dia em que o Senhor entregou os amorreus aos israelitas, Josué exclamou ao Senhor, na presença de Israel: "Sol, pare sobre Gibeom! E você, ó lua, sobre o vale de Aijalom! "

O sol parou, e a lua se deteve, até a nação vingar-se dos seus inimigos, como está escrito no Livro de Jasar. O sol parou no meio do céu e por quase um dia inteiro não se pôs.

Nunca antes nem depois houve um dia como aquele, quando o Senhor atendeu a um homem. Sem dúvida o Senhor lutava por Israel!


Deus faz tudo o que lhe agrada na natureza (Sl. 135.6,7).


“O Senhor faz tudo o que lhe agrada, nos céus e na terra, nos mares e em todas as suas profundezas.

Ele traz as nuvens desde os confins da terra; envia os relâmpagos que acompanham a chuva e faz que o vento saia dos seus depósitos”.


A vontade de Deus é feita em toda a natureza.

Deus age na natureza com vários objetivos (Sl. 104.14,15).


“É ele que faz crescer o pasto para o gado, e as plantas que o homem cultiva, para da terra tirar o alimento:

o vinho, que alegra o coração do homem; o azeite, que faz brilhar o rosto, e o pão que sustenta o seu vigor”.


As coisas acontecem na natureza por uma ação divina.


Deus usa a natureza para realizar os seus propósitos (Jó 38.22,23).


“Acaso você entrou nos reservatórios de neve, já viu os depósitos de saraiva, que eu guardo para os períodos de tribulação, para os dias de guerra e de combate”?


Elementos da natureza são usados por Deus para realizar juízo divino e para os dias de guerra.


Deus revela o seu poder e seu caráter na natureza (Rm. 1.20).


“Pois desde a criação do mundo os atributos invisíveis de Deus, seu eterno poder e sua natureza divina, têm sido vistos claramente, sendo compreendidos por meio das coisas criadas, de forma que tais homens são indesculpáveis”.


“O argumento é claro: a criação pressupõe um Criador. Um projeto pressupõe um projetista. Ao olhar para o sol, a lua e as estrelas, qualquer um pode dizer que existe um Deus”.

William MacDonald


Deus demonstra a sua bondade por meio da natureza (Mt. 5.44,45).


“Mas eu lhes digo: Amem os seus inimigos e orem por aqueles que os perseguem, para que vocês venham a ser filhos de seu Pai que está nos céus. Porque ele faz raiar o seu sol sobre maus e bons e derrama chuva sobre justos e injustos”.


O sol raia e a chuva cai sobre maus e bons porque Deus é misericordioso e imparcial.


Dr. Howard Agnew Johnson escreveu o seguinte:


“Há alguns anos fui convidado para almoçar em certa casa. O dono da casa me pediu que orasse. Depois de pedir a bênção e expressar a nossa gratidão pelos dons de Deus, ele disse com certa franqueza: "Realmente não vejo razão para isto: pois eu mesmo provi esta refeição."

Em resposta perguntamos: "O senhor nunca pensou que se falhassem a sementeira e a colheita uma só vez em toda a terra, a metade do povo morreria antes da próxima colheita? E não pensou também que se falhassem a sementeira e a colheita em dois anos sucessivos em todo o planeta, todos os homens morreriam antes da seguinte colheita?

Evidentemente assombrado, ele admitiu que nunca pensara em tal possibilidade. Então sugerimos estar muito equivocado em dizer que fora ele quem fornecera aquela refeição para nós. Ele devia a Deus a sua própria vida e as forças para ganhar o dinheiro. Deus havia posto vida no grão e no animal que usávamos como alimento, coisa que ele nunca poderia fazer. Lembramos-lhe que ele havia sido um cooperador com Deus, participando das leis divinas para suprir as nossas necessidades. Então perguntamos: "Se alguém lhe desse alguma coisa, o senhor não diria "obrigado"? E se fossem repetidas as dádivas duas ou três vezes ao dia, o senhor não diria "obrigado" cada vez'? Com isso ele prontamente concordou. "Então o senhor entende por que dizemos 'obrigado' a Deus cada vez que recebemos suas bênçãos."

A isto ele exclamou: "Ah! isto não é mais do que boa educação, sem falar em ser inteligentemente agradecido!"”

(Conhecendo as Doutrinas da Bíblia)


“Providência é o governante poder de Deus que supervisiona a sua criação e realiza os seus planos para isso”.

“Deus não apenas criou o universo, mas o mantém e o direciona para o cumprimento de seus propósitos. A criação e a providência pertencem juntas como dois lados da mesma moeda. Sem a criação não poderia haver providência, mas a criação dificilmente poderia se sustentar sozinha. O Deus que fez o universo também ordena e governa de acordo com sua vontade”.


Bray, G. (2018). Providência. In B. Ellis, M. Ward, & J. Parks (Orgs.), Sumário de Teologia Lexham. Bellingham, WA: Lexham Press.

14 visualizações0 comentário