top of page

A Doutrina da Providência Divina.

Atualizado: 26 de fev. de 2020


Introdução


Se Deus criou todas as coisas, ele controla todas as coisas?

Quem preserva, coopera e governa todas as coisas?

Todas as coisas acontecem por acaso ou com um propósito divino?

Segundo à Escritura, quem realmente controla todas as coisas?


A doutrina de Providência divina:


Fala sobre a contínua relação de Deus com a criação;

Ensina que os acontecimentos da criação são determinados por Deus, que é o Criador e Senhor pessoal, porém infinitamente poderoso;

Evita quatro erros comuns sobre o relacionamento de Deus com a criação:


1. Evita o deísmo (Deus criou o mundo, mas o abandonou);

2. Evita o panteísmo (Deus e a criação são uma coisa só);

3. Evita a casualidade (Os acontecimentos da criação são determinados por acaso);

4. Evita o determinismo (Todos os fatos e ações humanas são determinadas pela natureza, ou seja, destino impessoal). [1]


A doutrina de Providência é definida das seguintes formas:


É o cuidado divino sobre todas as suas obras (Sl. 145.9);[2]

É a assistência, cuidado e supervisão de Deus em toda a criação, desde o momento da primeira criação até o futuro na eternidade;[3]

É a atividade contínua de Deus em relação a toda a sua criação;[4]


Deus está continuamente envolvido com todas as coisas criadas de forma tal que:


1) As preserva como elementos existente, que conservam as propriedades com que ele os criou;

2) Coopera com as coisas criadas em cada ato, dirigindo as suas propriedades características a fim de fazê-las agir como agem;

3) As orienta no cumprimento dos seus propósitos.


A doutrina da Providência divina dentro da sua categoria geral tem três subtópicos:


1) Preservação – Deus preserva todas as coisas;

2) Cooperação – Deus coopera com todas as coisas;

3) Governo – Deus governa todas as coisas.


A doutrina de Providência divina:


Gera um desacordo entre os cristãos desde os primórdios da história da igreja, principalmente sobre a relação de Deus com as decisões volitivas dos seres morais;

É uma doutrina bíblica;

Defendida e ensinada pelos calvinistas, porém rejeitada, mal compreendida e refutada pelos arminianos;

Não viola liberdade humana, pois a Enciclopédia da Bíblia diz: “O controle de Deus é garantido e inclui tudo, todavia Deus não viola a liberdade de criaturas racionais e morais. Pode ser difícil compreender isso, uma que não há experiências pessoais que possam se comparar à obra da providência de Deus, mas a Escritura ensina claramente esses pontos. José insistiu que Deus o havia enviado ao Egito e, na verdade, essa confiança o sustentou em todas as suas adversidades. Todavia ele disse: “Eu sou José, seu irmão, aquele que vocês venderam ao Egito!” (Gn. 45.4);

Precisa ser entendida por todos os cristãos, por ser uma doutrina claramente exposta na Escritura;

Traz uma compreensão melhor sobre Deus em relação à criação.


Deus está sempre envolvido na sua criação.

De que forma ocorre esse envolvimento divino na criação?


Deus preserva todas as coisas criadas como elementos existentes, que conservam as propriedades com o que ele os criou.


A Escritura Sagrada nos revela que:


Cristo sustenta todas as coisas por sua palavra poderosa (Hb. 1.3).


“O Filho é o resplendor da glória de Deus e a expressão exata do seu ser, sustentando todas as coisas por sua palavra poderosa”.


Sustentando no grego é “pherõ que significa “carregar, suportar”.


“pherõ” é usada comumente no NT com o sentido de carregar algo de um lugar para outro, como ocorre em (Lc. 5.18) (o paralítico que foi levado numa maca até Jesus, (Jo. 2.8) a água que foi transformada em vinho sendo levada ao encarregado da festa e (2 Tm. 4.13) a capa e os livros que Timóteo deveria levar para o apóstolo Paulo.


“pherõ” não significa simplesmente “sustentar”, mas apresenta a ideia de controle ativo e deliberado da coisa que se carrega de um lugar a outro.


O Comentário Bíblico NVI diz que “A palavra “sustentar” [...] contém não somente a ideia de “apoio”, mas também a de “movimento em direção a”. Assim, o Filho é descrito como alguém que mantém “o Todo” e carrega e leva adiante para o seu alvo final”.


A expressão “Sustentando” indica que Jesus está continuamente carregando consigo todas as coisas no universo pela palavra do seu poder. Cristo está ativamente envolvido na obra da providência.


“No princípio, ele falou, e os mundos foram criados (Hb. 11.3). Ele ainda fala, e sua poderosa palavra sustenta a vida, as substâncias e mantém o universo em sua ordem. É por ele que todas as coisas subsistem (Cl. 1.17). Aqui está uma explicação simples de uma profunda questão científica. Os cientistas se atracam para descobrir o que une as moléculas. Nós sabemos que Jesus Cristo é o grande sustentador, e o faz pela sua poderosa palavra”.

(William MacDonald)


“Sustentando significa suportando ou carregando, em alusão ao movimento ou progresso em direção ao fim. O Filho não somente criou o universo, mediante Sua poderosa Palavra, mas também mantém e dirige seu curso. É Ele o Governador do universo. As leis da natureza são Suas e operam sob Seu comando”.

(O Novo Comentário Bíblico Novo Testamento)


“Cristo não só criou o universo (Hb. 1.2), Ele também o sustenta. Cristo trouxe o mundo à existência pela sua Palavra (Gn. 1-2), e Ele sustenta o mundo com a sua Palavra onipotente (Hb.11.3). Cristo guia o mundo em direção ao seu futuro designado – o tempo em que Ele receberá como sua herança (Hb. 1.2). Pelo fato de Cristo sustentar todas as coisas, nada na criação é independente dele”.

(Comentário do NT Aplicação Pessoal).


Cristo por meio da sua palavra poderosa sustenta e leva a sua criação para o destino que ele determinou.


Cristo mantém a existência de todas as coisas (Cl. 1.17).


“Ele é antes de todas as coisas, e nele tudo subsiste.”.


Tudo é mantido nele.


“Ele existia antes de todas as coisas e mantém tudo em harmonia”. NVT


Tudo existe nele (At. 17.28).


“‘Pois nele vivemos, nos movemos e existimos’, como disseram alguns dos poetas de vocês: ‘Também somos descendência dele’”.

“É nele, o Deus verdadeiro, que vivemos, e nos movemos, e existimos. Ele é não apenas nosso Criador, mas também aquele que nos cerca”. (William MacDonald)


Tudo é preservado por ele (Ne. 9.6).


“Só tu és o Senhor. Fizeste os céus, e os mais altos céus, e tudo o que neles há, a terra e tudo o que nela existe, os mares e tudo o que neles existe. Tu deste vida a todos os seres, e os exércitos dos céus te adoram”.


“Somente tu és o Senhor. Fizeste o céu e os céus além do céu, e todas as estrelas. Fizeste a terra, os mares, e tudo que neles há. Preservas todos os seres com vida, e o exército dos céus te presta adoração”. (Ne. 9.6) NVT


“A tua justiça é firme como as altas montanhas; as tuas decisões insondáveis como o grande mar. Tu, Senhor, preservas tanto os homens quanto os animais”. (Sl 36:6).


“Não se vendem dois pardais por uma moedinha? Contudo, nenhum deles cai no chão sem o consentimento do Pai de vocês”. (Mt. 10:29).


Tudo está reservado por ele para um propósito (2 Pe. 3.5-7).


“Mas eles deliberadamente se esquecem de que há muito tempo, pela palavra de Deus, existem céus e terra, esta formada da água e pela água. E pela água o mundo daquele tempo foi submerso e destruído. Pela mesma palavra os céus e a terra que agora existem estão reservados para o fogo, guardados para o dia do juízo e para a destruição dos ímpios”.


A humanidade depende dele (Jó 34.14,15).


“Se fosse intenção dele, e de fato retirasse o seu espírito e o seu sopro, a humanidade pereceria toda de uma vez, e o homem voltaria ao pó”.


As propriedades de todas as coisas são conservadas por ele.


A água continua sendo água.

A grama continua sendo grama.

A pedra continua sendo pedra.


Todas as coisas criadas por Deus são reais, e suas características, também são reais.


A água é real por isso ela molha, limpa e sacia.

A pedra é real por isso ela é dura e pode machucar.


“A providência divina proporciona fundamento para a ciência, pois Deus fez e continua a sustentar um universo que age de maneiras previsíveis. Se uma experiência científica for feita do mesmo modo hoje ou daqui a cem anos dará o mesmo resultado. [...] A providência divina também fornece fundamento para a tecnologia, pois podemos ter a certeza de que a gasolina fará o carro rodar hoje e sempre”.[5]


2. Deus coopera com as coisas criadas em cada ato, dirigindo as suas propriedades características a fim de fazê-las agir como agem.[6]


Deus faz todas as coisas ocorrerem de acordo com sua vontade (Ef. 1.11).


“Nele fomos também escolhidos, tendo sido predestinados conforme o plano daquele que faz todas as coisas segundo o propósito da sua vontade”.


A palavra “faz” no grego é “energeõ” que significa “elabora” ou “realiza”.


A Nova Versão Transformadora traduz essa passagem assim:

“Além disso, em Cristo nós nos tornamos herdeiros de Deus, pois ele nos predestinou conforme seu plano e faz que tudo ocorra de acordo com sua vontade”.


A Nova Tradução Linguagem de Hoje traduz essa passagem assim:

“Todas as coisas são feitas de acordo com o plano e com a decisão de Deus. De acordo com a sua vontade e com aquilo que ele havia resolvido desde o princípio, Deus nos escolheu para sermos o seu povo, por meio da nossa união com Cristo.”.


Deus faz a sua vontade na natureza (Sl. 148.7,8).


“Louvem o Senhor, vocês que estão na terra, serpentes marinhas e todas as profundezas,

relâmpagos e granizo, neve e neblina, vendavais que cumprem o que ele determina”.